Nesta segunda-feira (15) foi inaugurado na Boca Maldita, Centro de Curitiba, a estátua de Enedina Alves Marques, primeira engenheira negra do Brasil.

Curitibana, Enedina tem origem humilde. É filha de uma empregada doméstica e um lavrador, e entre suas contribuições mais notórias está o desenvolvimento do Plano Hidrelétrico do Paraná.

O secretário da igualdade racial da UGT-PR, Messias da Silva, esteve presente na inauguração da estátua. “É fundamental que tenhamos na cidade homenagens para promover mais representatividade do povo negro em Curitiba”.

A obra é de autoria do escultor Rafael Sartori, e fica no calçadão da rua XV, ao lado da praça Osório.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − 6 =