Na tarde desta quarta-feira (29) aconteceu na Câmara Municipal a audiência pública proposta pelo Sinpospetro, com o apoio da UGT, para tratar das providências em relação aos casos de violências sofridas por frentistas em postos de combustíveis de Curitiba.

Juan Pablo foi vítima de xenofobia e racismo em um posto da capital e Guadalupe Bahls sofreu agressão física em um posto de Colombo.
Prontamente o Sinpospetro, sindicato dos frentistas, tomou as providências para agir na defesa do direito desses trabalhadores. Uma delas foi a proposição da audiência de hoje, que foi aceita pelos vereadores Angelo Vanhoni e Rodrigo Reis.

Lairson Sena, presidente do Sinpospetro, agradeceu a agilidade do poder público e pediu mais ações dos representantes. “Nós precisamos, em parceria com os legisladores, criar políticas públicas que tragam segurança para os trabalhadores de postos de combustíveis”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − 3 =