Pressão da UGT e demais centrais adia votação da Previdência
Data: 01-12-2017 | Publicado por: UGT - Paraná

Pressão da UGT e demais centrais adia votação da Previdência

Greve suspensa, mobilização constante!

A UGT e as demais centrais sindicais suspenderam a greve nacional marcada para o  dia 5/12, após o cancelamento  da votação da reforma da Previdência, que estava agendada para o dia 6/12.

“A união das centrais, federações e sindicatos, além dos movimentos sociais, fez com que o governo e o Congresso recuassem desta loucura que pode acabar com o direito do trabalhador se aposentar.  Vencemos a primeira etapa, mas temos que mantermo-nos mobilizados para obtermos êxito nesse confronto”,  declarou o presidente da UGT-PARANÁ, Paulo Rossi, ao saber do recuo do governo que retirou da pauta a votação da proposta de reforma da Previdência.

Leia a nota das centrais:

Nós, representantes das seis centrais sindicais – CUT, Força Sindical, UGT, CTB, Nova Central e CSB - diante da informação que a proposta de Reforma da Previdência não será votada na próxima semana, decidimos suspender a greve marcada para 5 de dezembro.

Ressaltamos que a pressão do movimento sindical foi fundamental para o cancelamento da votação da Reforma da Previdência. Por isso é importante nos manter mobilizados e em estado de alerta de greve. Intensificaremos também a luta por mudanças na Medida Provisória (MP) da Reforma Trabalhista, que está em análise no Congresso Nacional.

Reafirmamos nossa luta por um país mais justo, com aposentadorias dignas, emprego e renda para todos.

São Paulo, 1º de dezembro de 2017

Vagner Freitas, presidente da CUT

Paulo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical

Ricardo Patah, presidente da UGT

Adilson Araújo, presidente da CTB

José Calixto Ramos, presidente da Nova Central

Antônio Neto, presidente da CSB

 

Post Mario de Gomes
Em 1º/12/2017

Secretário de Comunicação UGT-PARANÁ
João Riedlinger